6 partes do corpo humano que podem ser criadas em laboratório



Milhares de pessoas são vítimas de acidentes todos os anos e, por esse ou outros motivos, como doenças por exemplo, acabam perdendo uma parte irrecuperável do corpo. Já existem próteses bastante avançadas que podem ser implantadas no lugar de membros perdidos, no entanto a ciência têm avançado para uma solução ainda melhor: a reconstrução de algumas partes do corpo em laboratório.
Confira agora 5 partes do corpo humano que podem ser criadas em laboratório:


Tecido mamário
 Quando o câncer de mama se manifesta, dependendo do estágio de desenvolvimento do tumor, entre outras circunstâncias, a retirada da mama é necessária. Para ajudar as mulheres que passam por isso, os cientistas do Centro Helmholtz de Saúde e Pesquisa Ambiental, na Alemanha, utilizaram tecido mamário de mulheres saudáveis para fazer crescer um novo tecido mamário. O tecido utilizado era de mulheres que já tinham sido curadas do câncer mamário. Os cientistas avaliaram o resultado como encorajador, já que o novo tecido cresceu rapidamente, seguindo uma taxa de crescimento mamário parecido com o da puberdade.


Rins
 Pesquisadores da Massachusetts General Hospital conseguiram fazer crescer um par de rins em laboratório. Os órgãos foram transplantados em ratos, nos animais eles foram capazes de produzir urina normalmente. Depois disso, os cientistas realizaram novos experimentos em que conseguiram produzir rins humanos em miniatura, mas estes ainda não foram transplantados e ainda não se sabe se são funcionais. A pesquisa ainda está em desenvolvimento.

Orelhas
 O processo de reconstrução de cartilagem é doloroso, difícil e envolve alguns riscos. Mas isso pode estar prestes a mudar. Como? Com a ajudinha de uma impressoras 3D. Médicos da Universidade de Cornell conseguiram reproduzir uma orelha humana utilizando células vivas de vacas e colágeno retirado da cauda de ratos, tudo isso utilizando uma impressora tridimensional.

Nariz
Em 2013, Seifalian e sua equipe criaram um nariz para um britânico que sofreu de câncer. Os cientistas adicionaram uma solução de sal e açúcar para imitar a textura esponjosa do nariz. Já as células-troco usadas foram retiradas da gordura do paciente e tratadas por semanas. Na sequência o nariz foi implatado no braço do paciente para que pudesse crescer pele ao seu redor.

Cérebro em miniatura
 O cérebro é o órgão mais complexo do ser humano, mas o Instituto de Biotecnologia Molecular de Viena, na Áustria, não se deixou abalar por essa dificuldade. Pesquisadores do instituto desenvolveram um ensaio clínico com o qual pretendiam fazer crescer um cérebro humano. Em 2013, os cientistas conseguiram desenvolver um cérebro em miniatura, do tamanho do cérebro de um embrião de nove semanas aproximadamente. Em relação a estética, ele não parecia exatamente com um cérebro humano, mas tinha células nervosas funcionais. Isso mesmo, neurônios!

Coração funcional
Cientistas da Universidade de Pittsburgh utilizaram células epiteliais para criar um tecido muscular coronário. Quando é abastecido de sangue, começa a se contrair espontaneamente e cumprir a função normal de um coração. O “minicoração” foi desenvolvido em um rato de laboratório, mas de acordo com os pesquisadores, ele pode ser aperfeiçoado para ser aplicado em seres humanos. Se isso acontecer, vai significar um verdadeiro avanço para a medicina e uma esperança a mais para quem sofre de doenças cardíacas graves e precisa de um transplante.

Tecnologia do Blogger.