11 curiosidades sobre a idade média


Você já se imaginou vivendo na idade média?
De graças a deus por não ter nascido em uma das piores épocas da historia para se viver, você pode ter sido enganado por filmes, não há nada de magnifico na idade média, você provavelmente não ia ter um cavalo, uma armadura e uma espada, e se casar com uma bela princesa.
Confira agora 11 curiosidades sobre a idade média:


Casamento: Sim ou Sim?
No período medieval o casamento era bem diferente do que é conhecido nos tempos atuais. A maioria das mulheres sequer poderia escolher seus maridos, e as vezes nem mesmo conhecê-los antes do casório. Sem contar que entre a nobreza era extremamente comum que parentes próximos eventualmente se casassem visando manter a fortuna dessas respectivas nobres famílias entre elas mesmas. Era tensa a situação da mulherada naquela época. Elas mal tinham direitos e após casadas tinham que se manter submissas ao marido, não podendo nem se negar a manter relações sexuais. Pensa se elas fossem arranjadas pelos seus pais para algum maníaco sexual? 


Celas da barbárie
Vixe! Se caísse na prisão naquela época, era quase assinar uma sentença de morte ou se tornar um assassino profissional, já que as prisões na idade média eram uma barbárie. Pois além do contato direto e sem muitos pudores com outros criminosos, as condições de vida lá dentro eram sub-humanas. E isso em todos os sentidos, pois as condições de saúde e higiene eram precárias, a alimentação limitada, fatores esses que induziam os detentos a aprontar um verdadeiro caos. Some isso ao fator do presidiário na época não ter nenhum tipo de direito, podendo ser torturado até a morte sem qualquer tipo de direitos humanos intervindo. 


Cidades com cenários caóticos
 Além de não haver tratamento de água, água encanada ou sistemas de esgoto como conhecemos atualmente, na Europa medieval diversas cidades europeias apesar do crescimento constante não possuíam nem asfalto e nem calçadas. A população convivia com um cenário bastante contrastante, onde de um lado da rua podia se ver uma série de vendedores, inclusive de alimentos, e do outros animais e seus excrementos, tudo isso sem uma separação distinta. Desgostoso, no mínimo!


Cardápio do Dia: CARNE mais CARNE
As refeições na época medieval, são conhecidas como referência negativa de falta de noções de higiene. A maioria da culinária medieval era embasada em carne + carne + carne. Onde o camponês ou caçador fisgava, capturava ou caçava suas presas e as consumia e/ou revendia para as demais pessoas nas cidades ou no campo, sem muito cuidado com a procedência voltada para a higienização e saúde. As massas eram degustadas de um modo um pouco melhor e com mais abundância. Mas a própria água que é matéria prima para vários tipos de alimentos, era terrosa e sem filtração, o que de certo modo ocasionava inúmeros problemas de pele e de saúde nos europeus daquela época. 


A prematura medicina
Os tratamentos e intervenções médicas na época medieval eram embasados em crenças supersticiosas e realizados de modo bastante experimental. Ou seja, se você adoecia, por mais simples que fosse seu problema endêmico, você não tinha nenhuma certeza concreta do que poderia lhe acontecer devido ao amadorismo com que os problemas de saúde eram tratados naquela época. Endosse a essa concepção, que a religião católica, dominante majoritariamente na época, não autorizava que os especialistas em medicina na época utilizassem os corpos humanos de pessoas mortas para testes e experimentações, barrando o progresso do que entende-se por medicina, por um período quase que milenar. Ah, verdade. Não existia anestesia, né? Pense no quanto arrancar um dente, que seja, era dolorido. 


Média de Vida: 30 anos e bolinha
A época medieval foi o período da famosa Peste Negra, uma grande pandemia que assolou a Europa no século XIV e que dizimou muitos habitantes. A chance de ser europeu e a taxa de mortalidade ao contrair a doença naquela época era em torno de 50%. Fato esse que fazia os índices de expectativa de vida na Europa serem de míseros 30 e poucos anos. Quase um luxo viver esse tempo topo com essa ameaça constante. 


Futebol era crime
O futebol em si já é complicado, até nos dias de hoje, já que são 22 jogadores em campo e apenas uma bola. Imagine, então, se essa bola fosse feita com uma bexiga de porco e o número de jogadores fosse ilimitado. Pra melhorar, como regras, nada. Como você pode imaginar, essas partidas eram mais próximas do saudoso “porradobol” do que do futebol-arte que conhecemos, e por isso o jogo (chamado de “mob football”, ou “futebol de multidão”) era proibido pelas autoridades. 


Pãezinhos podiam ser alucinógenos
Que o pessoal vivia vendo vampiros, bruxas, lobisomens, espíritos, encarnações de santos e anjos e todo tipo de coisa sobrenatural não é novidade pra ninguém, mas, além da histeria e paranoia generalizadas, você sabia que isso pode ter se dado por intoxicação? Na época, água e outras bebidas eram infestadas de coisas tóxicas, como chumbo, que causam alucinações e podem matar. Um outro exemplo eram pães feitos com trigo que ficava tempo demais armazenado, criando um fungo chamado “ergot” que provoca sensações semelhantes à do LSD (ácido lisérgico), podendo inclusive matar. 


Cavaleiros não eram paladinos
Associar guerreiros de armadura à proteção contra o mal e defesa da Justiça não podia estar mais errado. Cavaleiros eram odiados e frequentemente saqueavam, estupravam e matavam inocentes, numa postura mais próxima à do Hound, de Game of Thrones, do que de heróis da Disney. De certa forma, cavaleiros eram os policiais da época, e trabalhavam para quem pagasse melhor. 


As pessoas não eram tão nojentas assim
 Uma coisa clássica em filmes de época é mostrar dentes nojentos, cabelos sebosos e roupas usadas até o talo, o que não era necessariamente comum (para os não pobres) na Idade Média. A limpeza, na época, era pregada pela Igreja e associada à pureza do espírito, o que fazia com que pessoas sujas fossem vistas como pecadoras. Existiam banhos públicos (até hoje populares em países como o Japão) e era até mesmo costume tomar banho junto com convidados da família. Os dentes, por sua vez, eram escovados com alecrim queimado, ou escovas com pelos de crina de cavalo – afinal, ninguém gosta de dor de dente.


Animais eram tratados como gente
Porcos, vacas, cavalos e outras espécies frequentemente iam a julgamento para responder (?) por crimes, como estragar plantações, comer comida que não era deles ou agredir humanos. Existem até mesmo anotações de julgamentos de lobisomens e de um galo que pôs um ovo, em 1474, e por isso foi visto como criminoso (sim, um galo, não uma galinha). Não me peçam explicações porque eu também não entendi.

Tecnologia do Blogger.