10 curiosidades incríveis sobre os buracos negros




Uma das coisas mais fascinantes e intrigantes que existem no Universo são os buracos negros. Por mais que a gente tente, pode ser difícil entender seus conceitos, afinal, sua física não faz parte da nossa realidade... e coisas tão colossais quanto os buracos negros podem ser um pouco inimagináveis para nós. 
Por isso, separamos alguns fatos curiosos sobre os buracos negros que irão provavelmente clarear um pouco o nosso entendimento sobre esses corpos extremos do Universo.
Confira 10 curiosidades incríveis sobre os buracos negros:


O lado bom
Mas nem só para coisas ruins e destruição servem os buracos negros, eles são importantes para manterem as galáxias unidas. Na Via Láctea, existe um buraco negro supermassivo, que é um dos principais responsáveis por fazer com que tudo fique, mais ou menos, no mesmo lugar, sem que cada sistema saia voando pelo “infinito”.


Vizinhança negra
Buracos negros são estruturas muito perigosas, afinal eles sugam tudo a sua volta e depois que alguma coisa cai em seu campo gravitacional, não há maneira de voltar. 
Para nossa sorte, o Sistema Solar está a 1600 anos-luz de distância do buraco negro mais próximo, nos deixando bem seguros.


Eles morrem
Como “nada” consegue escapar de um buraco negro, ele deveria ser imortal, pois a matéria que absorve vai ficar com ele para sempre, só que as coisas não são bem assim. Os buracos negros possuem apenas uma fraqueza: A radiação. 
Essa forma de energia é a única coisa que consegue fugir da poderosa gravidade do buraco negro, sendo assim, após muitos bilhões, ou mesmo trilhões de anos, um buraco negro pode morrer.


Um sol ao avesso
Muitas pessoas acreditam que os buracos negros são, de fato, buracos, mas eles se parecem mesmo com estrelas. Assim como a maior parte dos corpos celestes no Universo, os buracos negros são redondos, como bolas, e giram como um planeta. 
Eles dão a impressão de serem buracos para o nada, por não emitirem luz, porém eles são corpos que ocupam espaço tridimensional.


Pais do Universo
Com o crescimento da tecnologia, cada vez mais, nós podemos estudar os buracos negros e entender como eles funcionam. Por isso, muitos cientistas acreditam que eles possam ser a resposta para um dos maiores mistérios da humanidade: De onde vem o Universo? Algumas teorias modernas acreditam que os buracos negros possam ser pequenos universos, ou seja, cada um deles, quando surge, cria um novo universo. 
Mas, obviamente, essas teorias ainda precisam de mais estudos e provas, mesmo sendo promissoras para explicarem muitas coisas.


Tamanho sem limites, mas com uma regra
Um buraco negro pode ter qualquer tamanho. Seu tamanho e massa estão diretamente relacionados, ou seja, quanto maior for sua massa, maior espaço ele ocupa. O raio de Schwarzschild (o raio do horizonte de eventos de um buraco negro) e a massa são diretamente proporcionais um ao outro. 
Portanto, se um buraco negro pesa dez vezes mais do que o outro, o seu raio é dez vezes maior também. Por exemplo, um buraco negro com a massa igual a do nosso Sol teria um raio de 3 km, e um buraco negro típico, com cerca de 10 massa solares teria um raio de 30 km, e assim por diante.


Eles não podem sugar tudo no Universo
Não. Esse é um dos fatos mais interessantes sobre os buracos negros. Eles não podem sugar toda a matéria do Universo, porque cada buraco negro tem seu próprio horizonte de eventos, assim como o campo gravitacional de um planeta. Se a matéria não está no seu horizonte de eventos ela nunca será sugada por ele.


Adeus, leis da física
Podemos dizer que existem duas certezas nesse mundo: A morte e as Leis da Física. Mas a morte provavelmente será burlada no futuro. Contudo, dentro de um buraco negro, acredita-se que as leis da física, como conhecemos, parem de funcionar. 
Lá dentro existe matéria tão compactada que as forças gigantescas da gravidade e o tamanho infinitesimal dos objetos criam um distúrbio tão grande que é capaz “anular” as leis da física. Pode ser que lá dentro, até mesmo o tempo pare de fluir.


Morrendo no buraco
Claro que ninguém se atirou em um buraco negro para testar, mas os astrofísicos acreditam que uma morte causada por um deles pode ser uma das coisas mais malucas de todo o Universo observável. Se uma pessoa “cair” com os pés virados para o buraco negro, ela poderá ver seu corpo sendo esticado ao infinito, antes de morrer. 
Segundo o conhecimento atual, o tempo passa de maneira muito mais lenta perto dos buracos negros, por isso, depois que as pernas de uma pessoa passam pelo horizonte de evento, ela pode ver seu corpo sendo esticado, até ser apenas uma carreira de átomos. Contudo, esse processo seria muito, muito lento, afinal o tempo se “arrasta” perto de grandes gravidades. Assim, qualquer pessoa tragada pelo buraco teria a chance de ver seu corpo sendo destruído lentamente, enquanto os segundo se esticam também.


Distorcendo o tempo
O buracos negros vivem em um “tempo diferente” do nosso, pois a sua gravidade consegue fazer com que o tempo passe muito mais devagar perto dele. A Teoria da Relatividade de Einstein diz que o tempo passa mais devagar quando perto de forças gravitacionais fortes, ou seja, o tempo aqui na Terra passa mais devagar do que na Estação Espacial Internacional. 
Mas como entre esses dois pontos a diferença de gravidade é relativamente pequena, o tempo muda pouco. Já em buracos negros, com a gravidade milhões de vezes maior do que a nossa, o tempo passa muito mais devagar, quase que “parando” de fluir.

Tecnologia do Blogger.